PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Sardas ou pintas? Saiba como identificá-las e o jeito certo de cuidar

Adriana Vilarinho

25/05/2020 04h00

iStockConsideradas por muitos como sinais de charme e de beleza, as sardas são pequenas manchas benignas e arredondadas, com tons próximos do castanho-claro, que surgem ainda na infância ou adolescência devido ao aumento da melanina (pigmento responsável por dar cor a nossa pele), geralmente, se desenvolvendo em locais como face, colo, costas e mãos.

O principal fator relacionado ao surgimento das sardas é a predisposição genética, sendo os indivíduos de pele clara, loiros e ruivos os mais propensos, mas há exceções, já que as sardas também podem surgir ou intensificar-se, em qualquer fototipo, devido a exposição solar sem proteção.

Pessoas com sardas, por apresentarem a pele mais clara, são mais sensíveis à exposição solar. Por este motivo, a melhor forma de cuidar e evitar o escurecimento destas lesões é aplicar o filtro solar diariamente. O filtro representa o maior aliado da pele quando fala-se em cuidado, uma vez que ele nos protege dos raios ultravioletas A e B.

Além disso, pessoas que têm sardas devem seguir uma rotina de cuidados adequada para o seu tipo de pele, com produtos recomendados às necessidades das peles sensíveis, conforme orientação médica. Já para aqueles que desejam disfarçá-las, tratamentos dermatológicos com lasers, dermocosméticos clareadores e peelings podem diminuir seu aspecto visual.

Sardas x pintas

As sardas não possuem relevo e apresentam coloração próxima ao castanho-claro. As pintas (também chamadas de nevos) são lesões planas ou elevadas com coloração variada, indo do castanho-claro para o castanho-escuro.

Em todos os casos, é preciso estar atento às características das pintas e sardas, e consultar um dermatologista em caso de alterações na assimetria (se apresenta bordas irregulares), variação de cor e tamanho (se crescem e em quanto tempo). Sempre reforçando o conceito de que o uso do protetor solar é indispensável.

Sobre a autora

Adriana Vilarinho é graduada pela Faculdade de Medicina do ABC, em São Paulo, especialista em dermatologia pela Associação Brasileira de Medicina e pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), da qual é membro. Também faz parte da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD) e da American Academy of Dermatology.

Sobre o blog

O que a gente chama de beleza é o reflexo da saúde. Uma pele bonita é uma pele saudável, cabelos bonitos são cabelos saudáveis e por aí afora. Este é o espaço para quem busca orientações dermatológicas confiáveis, sempre visando o bem-estar, com dicas que muitas vezes podem ser até bem simples e descomplicadas, mas que são sempre baseadas na experiência médica.

Blog da Adriana Vilarinho