menu
Topo
Blog da Adriana Vilarinho

Blog da Adriana Vilarinho

Categorias

Histórico

Quais as vantagens do protetor solar com pigmento? Ele substitui maquiagem?

Adriana Vilarinho

12/11/2018 04h00

Crédito: iStock

Cada vez temos mais opções de protetores solares com pigmento. Mas você sabe o que diferencia esses produtos dos protetores convencionais (sem pigmento, geralmente brancos ou transparentes)?

O protetor solar com pigmento tem duplo benefício: além de uniformizar a pele e servir como maquiagem, é filtro físico e químico. Além de proteger contra os raios ultravioleta, a cor age como uma segunda barreira de proteção, defendendo a pele da luz visível, emitida por celulares, computadores, televisão e lâmpadas fluorescentes –que também prejudicam a pele.

Atualmente, já podemos encontrar protetores solares com uma gama bem diversificada de tonalidades, capazes de atender a todos os tipos de pele, independente do fototipo do paciente. Aliás, estar atento ao tipo de pele e tonalidade do produto é crucial. Então, é preciso atenção –depois de recomendação dermatológica — para escolher o protetor correto para você.

Pessoas com tendência à acne e pele mais oleosa, por exemplo, costumam adaptar-se melhor aos produtos oil free e com toque seco. Já os pacientes que têm pele mais seca necessitam de um produto mais hidratante. Além disso, é importante lembrar que é preciso aplicar o protetor em toda face, e reaplicá-lo de forma regular é indispensável.

Uma das principais vantagens do protetor solar com pigmento é que o seu uso permite dispensar o uso diário da base ou até mesmo de corretivos, ajudando a camuflar e cobrir algumas imperfeições e manchas da pele. O produto ainda é o mais indicado em casos de desordens pigmentares como melasma e vitiligo, pois a barreira física (cor) ajuda na proteção contra a radiação ultravioleta e também contra a luz visível, como já expliquei.

O verão está próximo e esse tipo de protetor solar com pigmento pode ser usado na praia ou piscina, mas é importante reaplicar o filtro a cada 2 horas e usar um FPS de maior espectro quando houver exposição solar intensa.

Para mais informações ou dúvidas sobre o tema, procure seu dermatologista! 

Sobre a autora

Adriana Vilarinho é graduada pela Faculdade de Medicina do ABC, em São Paulo, especialista em dermatologia pela Associação Brasileira de Medicina e pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), da qual é membro. Também faz parte da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD) e da American Academy of Dermatology.

Sobre o blog

O que a gente chama de beleza é o reflexo da saúde. Uma pele bonita é uma pele saudável, cabelos bonitos são cabelos saudáveis e por aí afora. Este é o espaço para quem busca orientações dermatológicas confiáveis, sempre visando o bem-estar, com dicas que muitas vezes podem ser até bem simples e descomplicadas, mas que são sempre baseadas na experiência médica.