Blog da Adriana Vilarinho http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br O que a gente chama de beleza é o reflexo da saúde. Mon, 30 Mar 2020 07:00:04 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.7.2 Acne na mulher adulta é comum, mas há tratamento; saiba mais http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/2020/03/30/acne-na-mulher-adulta-e-comum-mas-ha-tratamento-saiba-mais/ http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/2020/03/30/acne-na-mulher-adulta-e-comum-mas-ha-tratamento-saiba-mais/#respond Mon, 30 Mar 2020 07:00:04 +0000 http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/?p=936

iStock

Sabia que acne não é comum somente em adolescentes? Pois é, as espinhas também podem surgir na fase adulta, principalmente em mulheres. Mas há tratamentos para esse problema que causa desconfortos.

A acne na mulher adulta pode iniciar a partir dos 25 anos, mas também pode ser um quadro persistente desde a adolescência. Porém, diferentemente das espinhas que surgem em jovens, na chamada “zona T”, compreendida por testa, nariz e parte superior das bochechas, na mulher adulta, brotam na “zona U”, composta pelo queixo, mandíbula e pescoço, em quadros inflamatórios.

As espinhas surgem da inflamação nas glândulas sebáceas que quando produzem gordura em excesso são porta de entrada para bactérias e microrganismos nocivos à pele. Anteriormente, acreditava-se que o excesso de óleos produzidos pelas glândulas sebáceas era provocado quase exclusivamente por oscilações hormonais. Porém novos estudos apontaram que isso só acontece em 30% dos casos de acne da mulher adulta.

A genética é uma das questões que são levados em consideração quando é realizada a avaliação em consulta dermatológica, pois é comum o paciente ter algum parente de primeiro grau que também apresenta problemas com acne.

Além disso, dietas com o consumo em excesso de laticínios e carboidratos, estresse, tabagismo, poluição, exposição solar e o uso de alguns suplementos alimentares podem ser fatores desencadeantes ou de piora da acne.

As espinhas podem ser tratadas com produtos tópicos, com ativos como ácido retinoico, ácido salicílico, peróxido de benzoíla, entre outros. Além disso, lavar o rosto com sabonetes que controlem a oleosidade, sem agredir a barreira cutânea, e medicamentos (hormonais ou não) também são recomendados.

Produtos matificantes e com efeito “blur” ajudam a manter a pele sem brilho, além de disfarçar os poros. Loções secativas são boa opção, quando usadas pontualmente, para ajudar os pacientes a não espremerem as espinhas, o que pode causar lesões e aumentar o risco de manchas e cicatrizes.

Terapias com lasers e luzes possuem ação anti-inflamatória e os peelings químicos também ajudam na resolução das lesões. Mas vale lembrar que procedimentos clínicos podem ser realizados a fim de melhorar o quadro de acne, porém não substituem os tratamentos convencionais. A consulta com um dermatologista é sempre necessária para adequar o tratamento às necessidades de cada tipo de pele.

]]>
0
Higienizar as mãos é fundamental, mas hidratá-las também é preciso http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/2020/03/23/higienizarehidratarasmaosepreciso/ http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/2020/03/23/higienizarehidratarasmaosepreciso/#respond Mon, 23 Mar 2020 07:00:59 +0000 http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/?p=925

iStock

No momento em que vivemos a pandemia de coronavírus, a assepsia e a higienização são as principais formas de prevenção ao vírus. A lavagem com mais frequência das mãos, que entram diretamente em contato com superfícies e objetos que podem estar contaminados por vírus e bactérias, e o uso de álcool em gel, quando da impossibilidade de higienizá-las com água e sabão, são uma medida importantíssima para o controle das infecções.

O procedimento de lavagem de mãos, da forma recomendada pelos órgãos de saúde, é simples e leva cerca de 20 segundos. Vale lembrar que é de suma importância higienizar os dorsos das mãos e as áreas entre os dedos, assim como os pulsos e até antebraços.

Na impossibilidade de lavar as mãos adequadamente, o álcool em gel pode funcionar como um aliado, pois apresenta rápida ação e excelente atividade contra os microrganismos nocivos à saúde. Isso sem falar na praticidade, já que pode ser levado em pequenas embalagens em bolsas e mochilas para todo lugar.

De acordo com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), soluções alcoólicas entre 60 e 80% são mais efetivas. Álcoois em concentrações mais altas, por sua vez, são menos potentes, pois as proteínas não se desnaturam com facilidade na ausência de água.

Tão importante quanto higienizar as mãos, é hidratá-las. Lavar as mãos excessivamente, assim como utilizar o álcool 70 ou 96 com maior frequência, pode ressecar a pele causando fissuras e rachaduras, porta de entrada para outro tipo de contaminação: a contaminação por bactérias.

Além disso, no Brasil, a maioria das soluções para a antissepsia das mãos à base de álcool contém etanol, substância que pode ser nociva à pele. Porém, quando associadas a emolientes (como o glicerol) tendem a causar menos irritação.

Por isso, para evitar qualquer desconforto, lembre-se de utilizar cremes e hidratantes adequados para as mãos, sempre que possível. No caso do uso do álcool em gel, é necessário aguardar a secagem total do produto para utilizar o hidratante. Caso não possa realizar a hidratação após o processo de higienização, há cremes específicos que podem ser recomendados por um dermatologista, que utilizados à noite, permitem que a pele se mantenha hidratada durante as horas de sono.

Além de todos os cuidados com a assepsia e a hidratação das mãos, é importante lembrar que manter as unhas mais curtas também ajuda na prevenção. Ao mantê-las menores, o acúmulo de sujidade no espaço entre a unha e a pele diminui, reduzindo o risco de transmissão de doenças.

]]>
0
Celulite? Conheça as tecnologias à favor da sua pele http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/2020/03/16/celuliteconhecatecnologiasafavordadusuapele/ http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/2020/03/16/celuliteconhecatecnologiasafavordadusuapele/#respond Mon, 16 Mar 2020 07:00:01 +0000 http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/?p=916

Crédito: Istock

Não é de hoje que a celulite, nome dado à inflamação crônica do tecido adiposo, é uma das queixas corporais mais frequentes nos consultórios dermatológicos. Além da retenção de líquidos e toxinas corporais, soma-se a isso os fatores hereditários, o ganho de peso, a alimentação rica em doces e o uso de hormônios, que contribuem para a piora do quadro.

A celulite pode variar de marcas na pele com aspecto de “casca de laranja” até nodulações e enrijecimento da pele, de acordo com o grau de I a IV. As regiões mais acometidas são coxas, abdômen, glúteos e braços e sua incidência é maior nas mulheres após a puberdade, chegando a atingir 95% dos casos.

A alimentação balanceada com redução da gordura e açúcar, e maior ingestão de água, ajuda a melhorar essa queixa. Além disso, a associação de tratamentos como a drenagem linfática, infravermelho, radiofrequência e ondas de choque, com a subscisão cirúrgica e injetáveis, como bioestimuladores, costumam ser recomendados.

Atualmente, a tecnologia de micro-ondas, também tem feito parte das opções de tratamentos. As micro-ondas, que são ondas guiadas por um campo eletromagnético, faz com que a 80% da energia dispensada penetre na profundidade do tecido de gordura, sem esquentar a superfície da pele. Dessa forma, mais calor é entregue na hipoderme, o que gera maior contração da pele do que em outras tecnologias. Geralmente recomenda-se sessões mensais, sendo que a quantidade de sessões varia de acordo com a necessidade de cada paciente.

]]>
0
Harmonização facial: entenda técnica que minimiza efeitos do envelhecimento http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/2020/03/09/harmonizacao-facial-entenda-tecnica-que-minimiza-efeitos-do-envelhecimento/ http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/2020/03/09/harmonizacao-facial-entenda-tecnica-que-minimiza-efeitos-do-envelhecimento/#respond Mon, 09 Mar 2020 07:00:53 +0000 http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/?p=907

iStock

O preenchimento facial com ácido hialurônico é realizado na área da dermatologia há muito tempo. Contudo, a técnica de realização desses preenchimentos mudou bastante nos últimos cinco anos e temos escutado muito os termos MD Codes e harmonização facial que, na verdade, são apenas termos para designar essa nova técnica.

Esse procedimento é indicado para homens e mulheres que buscam um tratamento para a perda de volume do rosto e a sustentação da pele de forma mais efetiva e natural, a fim de minimizar os efeitos do envelhecimento. Essa técnica foi criada visando promover um efeito de elevação dos tecidos da face, de valorização dos seus contornos, sempre respeitando as características de cada paciente.

A técnica consiste na avaliação médica da face como um todo, permitindo que a causa da queixa seja tratada. Muitas vezes a origem de uma insatisfação reportada pelo paciente pode estar localizada em uma área diferente daquela que o desagrada.

Por exemplo, se a intenção é suavizar as linhas de expressão popularmente denominadas de  “bigode chinês”, a aplicação do ácido hialurônico pode ser feita na região das “bochechas”, pois, uma vez estruturada essa área, a ruga do chamado “bigode chinês” será, consequentemente, suavizada. Dessa forma acabamos tratando a região anatômica da “origem” da queixa e não simplesmente um sulco que venha a incomodar.

Na técnica do MD Codes, podemos tratar, além da área do “bigode chinês”, a linha de expressão conhecida como “linha da marionete”, logo abaixo da boca, o mento, lábios, região da mandíbula, “olheiras”, região da “maçã do rosto” e a área das sobrancelhas.

É um procedimento feito em consultório médico, com anestesia tópica e geralmente com mínimo desconforto, por isso é possível retorno rápido às atividades habituais. Contudo, é contraindicado para gestantes, pacientes com doenças autoimunes ou alérgicos a algum componente da aplicação.

Vale ressaltar que o produto, quando aplicado em plano fora da região anatômica indicada ou em quantidades exageradas, pode ocasionar a formação de nódulos, oclusão de algum vaso ou o aspecto de hipercorreção.

Por isso, as técnicas exigem vasto conhecimento de anatomia pelo profissional, que deve estar apto e devidamente autorizado a realizar o preenchimento, pois mesmo que não se trate de um procedimento cirúrgico, existem riscos inerentes à técnica. Portanto, o responsável deve estar altamente treinado e pronto para reverter qualquer situação inesperada.

]]>
0
Curtiu muito? Saiba como recuperar a pele após a folia do Carnaval http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/2020/03/02/curtiu-muito-saiba-como-recuperar-a-pele-apos-a-folia-do-carnaval/ http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/2020/03/02/curtiu-muito-saiba-como-recuperar-a-pele-apos-a-folia-do-carnaval/#respond Mon, 02 Mar 2020 07:00:46 +0000 http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/?p=900

iStock

Sabia que hidratar o corpo, como um todo, reflete diretamente na saúde da pele? Com o fim do Carnaval é comum que a pele esteja mais ressecada devido às agressões externas como sol, maquiagens e redução do consumo de líquidos. Porém, é possível atenuar os danos para obter uma pele saudável.

O aumento do consumo de água e até mesmo de água de coco ajuda a repor o que foi gasto durante os dias de folia. Alimentos frescos e leves, como frutas, também são boa opção para repor as energias e hidratar o organismo.

Quem abusou do sol e voltou para casa com queimaduras deve caprichar no uso de hidratantes corporais e faciais. O eritema (vermelhidão) muitas vezes vem acompanhado de bolhas, que não devem ser rompidas. Para amenizar o quadro, são recomendados banhos mais frios, que ajudam a aliviar o desconforto, porém consultar um dermatologista para obter o tratamento adequado é o mais indicado.

Após o uso de adereços adesivos, é possível que algumas partes da pele tenham ficado com marcas mais claras, devido à exposição solar. Nos dias que seguem, uma boa opção é o uso de protetor solar com cor que, além de proteger a área afetada, ainda camufla, temporariamente, as manchas.

Após entrar na brincadeira e utilizar glitter por todo o corpo, algumas pessoas têm dificuldade em retirá-lo, já que fica aderido à pele. Uma boa alternativa é, antes do banho, usar fita adesiva para retirar parte do produto e durante a ducha, utilizar óleos corporais, que auxiliam no processo de remoção, facilitando o desprendimento do material, além de hidratar.

Se houver glitter na face, a melhor opção é retirar o excesso com água micelar ou lenços demaquilantes, gentilmente, para não irritar a pele e após, enxaguar com água e sabonete adequado ao tipo de pele. Lembrando que a rotina diária de cuidados com a pele, recomendada por um dermatologista, também não pode ser esquecida.

]]>
0
Maquiagem de Carnaval: cuidados essenciais para não prejudicar a pele http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/2020/02/17/maquiagem-de-carnaval-cuidados-essenciais-para-nao-prejudicar-a-pele/ http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/2020/02/17/maquiagem-de-carnaval-cuidados-essenciais-para-nao-prejudicar-a-pele/#respond Mon, 17 Feb 2020 07:00:56 +0000 http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/?p=889

iStock

A comemoração do Carnaval em todo o Brasil não se resume apenas a poucos dias, mas ao mês de fevereiro todo. Uma programação extensa acontece em vários estados. A maratona de blocos e festas temáticas pré-carnavalescas faz com que os foliões caprichem nas produções exóticas e criativas, sendo a maquiagem um item importante nessa composição.

Mas é preciso ficar atento! O uso de produtos não aprovados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) pode trazer sérios danos à pele, logo, devem ser tomados alguns cuidados com o maior órgão do corpo humano na hora de começar a produção:

  1. Preparo da pele: uso de sabonetes específicos, hidratantes ou águas micelares, e protetor solar facial e corporal, são passos fundamentais antes da make;
  2. Maquiagem: glitters, lantejoulas, purpurinas, tintas ou adesivos devem ser usados com cautela. Produtos dermatologicamente testados e de marcas reconhecidas garantem o uso de plásticos não-tóxicos e hipoalergênicos. É preciso ter cuidado com a aplicação próxima aos olhos, que além de conjuntivite, pode causar alergia de contato e queimaduras solares;
  3. Fotoproteção: é importante lembrar que o uso de filtro solar no rosto, colo e corpo, é necessário sempre, principalmente nos momentos de exposição ao sol com adesivos na pele. Lembre-se que, após retirar os adereços aplicados, as marcas mais claras que aparecem em função do bronzeamento da pele ao redor podem não ser agradáveis. O uso de protetores labiais também é preciso para evitar o ressecamento e feridas;
  4. Remoção dos itens: os produtos aplicados na face e no corpo devem ser retirados meticulosamente. Os que são colados, podem ser removidos com ajuda de demaquilante bifásico. Os glitters e tintas, com sabonete e água micelar. Após a retirada dos produtos, deve-se hidratar cuidadosamente a pele;
  5. Cabelos: existem produtos que tingem os fios provisoriamente, que podem causar dermatite de contato, por isso é necessário fazer um teste nos pelos do antebraço antes de usar no couro cabeludo. Pessoas com dermatite seborreica ou história prévia de alergia a tinturas devem evitar o uso desses produtos.

Vale lembrar que o consumo de água ajuda a pele a manter-se saudável e hidratada durante a folia. Para ter a pele de “outros carnavais”, consulte sempre um dermatologista.

]]>
0
Quer remover uma tatuagem? Lasers são seguros e uma boa opção http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/2020/02/10/quer-remover-uma-tatugem-lasers-sao-seguros-e-uma-boa-opcao/ http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/2020/02/10/quer-remover-uma-tatugem-lasers-sao-seguros-e-uma-boa-opcao/#respond Mon, 10 Feb 2020 07:00:09 +0000 http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/?p=881

iStock

Quem já fez uma tatuagem e não ficou muito feliz com o resultado, ou mudou o estilo de vida e o desenho não combina mais? Casos assim acontecem com frequência e, por mais que o desconforto exista, há como remover os rabiscos da pele com a tecnologia a laser.

O mecanismo de ação do laser acontece pela emissão de raios direcionados ao pigmento, em disparos com fração de nanossegundos ou picossegundos, que ao absorver a luz emitida desintegra-se em micropartículas, que aos poucos serão reabsorvidas pelo organismo.

Durante a avaliação pelo dermatologista para remoção de tatuagem alguns fatores são levados em consideração, como a qualidade da tinta utilizada, o tempo que o desenho foi feito, a cor do pigmento, entre outros. Por isso, o número de sessões para atingir o resultado desejado pode variar para cada paciente.

Em alguns casos, pode ser necessária a associação de mais de um tipo de laser para melhora da cicatrização e remoção da cor, já que tatuagens coloridas são mais difíceis de tratar. Extremidades, como braços, pés e mãos, independentemente da cor do pigmento, costumam ter uma resposta mais lenta às sessões a laser, por isso, paciência é fundamental.

Pessoas com antecedentes de queloide precisam de atenção redobrada com a pele, pois alguns indivíduos podem apresentar o desenvolvimento de cicatrizes hipertróficas em locais de aplicação de laser. Assim, é imprescindível a avaliação do dermatologista para análise diagnóstica, indicação do tratamento adequado e para avaliar os riscos da terapêutica proposta. Outras doenças de pele como vitiligo, psoríase e algumas doenças autoimunes podem ser contraindicações relativas ao uso de laser para remoção de tatuagem.

Tatuagens cosméticas e estéticas, como micropigmentação de sobrancelhas e lábios, também podem ser retiradas com o uso de lasers. O clareamento nessas regiões apresenta bom resultado, porém os pelos no local podem ficar transitoriamente mais claros. Conversar com o dermatologista sobre as expectativas e tecnologias existentes no mercado é a melhor opção antes de iniciar qualquer tratamento.

]]>
0
Alopecia androgenética, a popular calvície, pode ser tratada com implante http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/2020/02/03/alopecia-androgenetica-a-popular-calvicie-pode-ser-sanada-com-implante/ http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/2020/02/03/alopecia-androgenetica-a-popular-calvicie-pode-ser-sanada-com-implante/#respond Mon, 03 Feb 2020 07:00:13 +0000 http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/?p=865

iStock

A queda de cabelo é uma das reclamações mais comuns nos consultórios de dermatologia, e existem vários motivos que podem causar a perda dos fios como estresse, deficiência de vitaminas, alterações hormonais, uso de determinados medicamentos, fatores genéticos, entre outros.

Pablo Cirino, dermatologista e tricologista especialista pela USP (Universidade de São Paulo) e cirurgião capilar, afirma que há vários métodos para estimular o crescimento dos fios, porém o ponto inicial de qualquer tratamento começa em uma consulta com um especialista, capaz de diagnosticar os fatores que desencadearam a queda e indicar o melhor recurso terapêutico.

A principal causa da perda dos cabelos tanto em homens quanto em mulheres, é a alopecia androgenética, popularmente conhecida como “calvície”. Essa condição, geneticamente determinada, causa a queda progressiva dos folículos e, por isso, não há como estimular o crescimento de novos fios na região em que não vemos mais estes folículos. Para esses casos, o implante capilar é a opção mais indicada.

Na cirurgia realizada com a técnica FUE (Follicular Unit Extraction), são retirados os folículos existentes em uma região doadora do couro cabeludo e implantados no local em que há a alopecia. Esse procedimento é realizado com anestesia local, sem demais desconfortos, e os novos fios podem começar a ser observados à partir do segundo mês após a cirurgia.

O implante capilar é indicado para os casos em que a alopecia androgenética já esteja estabilizada, o que varia de acordo com cada paciente e, por isso, um acompanhamento médico é necessário.

Vale lembrar, que também é possível realizar o implante capilar em barba, em locais em que haja falhas. Porém, em todos os casos, a indicação de implante leva em consideração alguns fatores, como a condição física e clínica do paciente.

Após o implante, são necessários alguns cuidados com a área doadora, como também com a área receptora, por isso o acompanhamento do especialista é fundamental em todas as etapas do tratamento. Para saber mais sobre queda e alterações dos fios, e também sobre implante capilar, converse com um dermatologista tricologista.

]]>
0
Ginástica facial ajuda a minimizar sinais do envelhecimento http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/2020/01/27/ginastica-facial-ajuda-a-minimizar-sinais-do-envelhecimento/ http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/2020/01/27/ginastica-facial-ajuda-a-minimizar-sinais-do-envelhecimento/#respond Mon, 27 Jan 2020 07:00:16 +0000 http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/?p=859

iStock

Manter a saúde da pele é um desafio diário. Com o passar dos anos, nossos músculos e nossa pele sofrem com as ações do tempo e, por isso, a atividade física é fundamental para o bem-estar e vitalidade. É saudável para o corpo realizar exercícios para manter a saúde e a tonificação muscular. E assim também é para a face.

A ginástica facial é um tratamento que pode auxiliar a minimizar os sinais de envelhecimento, proporcionando maior tonicidade à musculatura facial, de acordo com pesquisa publicada pelo periódico Jama Dermatology, em 2018.

Com movimentos manuais, que podem ou não ser associados a outros artifícios como eletroestimulação, deslizamento de pedras, dermocosméticos e ácido hialurônico, os exercícios faciais ajudam a ativar a circulação sanguínea e a melhorar a oxigenação da pele, além disso também auxiliam no combate à flacidez.

Para realizar o tratamento com ginástica facial de forma adequada, é importante ter o acompanhamento de um dermatologista, pois há algumas restrições quanto à prática dos movimentos, como em gestantes, pessoas com pele acneica ou que tenham realizado procedimentos com toxina botulínica e preenchedores, por exemplo.

]]>
0
Bronzeamento artificial não faz nada bem à pele: saiba mais http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/2020/01/20/bronzeamento-artificial-nao-faz-nada-bem-a-pele-saiba-mais/ http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/2020/01/20/bronzeamento-artificial-nao-faz-nada-bem-a-pele-saiba-mais/#respond Mon, 20 Jan 2020 07:00:43 +0000 http://adrianavilarinho.blogosfera.uol.com.br/?p=852

iStock

Ter o bronzeado do verão durante o ano inteiro não é fácil e, por isso, algumas pessoas recorrem às câmaras de bronzeamento artificial para manter a pele dourada. O serviço de bronzeamento artificial é oferecido como uma forma menos agressiva do que a radiação solar para dar cor à pele, minimizando possíveis queimaduras solares e desconfortos, as câmaras de bronzeamento artificial foram proibidas pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) desde 2009 no Brasil, em função dos riscos oferecidos à saúde.

Esses equipamentos funcionam por meio de luzes artificiais que emitem radiação ultravioleta A (UVA), mais potente que o sol, principal responsável pelo envelhecimento da pele, além de também predispor ao câncer. O UVA penetra profundamente na pele alterando fibras elásticas e colágenas, provocando rugas, perda da elasticidade e manchas.

Mas por que a pele não fica vermelha após as sessões? Porque o responsável pela vermelhidão da pele é a fração B da radiação ultravioleta (UVB), principal agente causador do câncer da pele, cuja presença nas câmaras de bronzeamento é relativamente menor.

Porém, o fato de a pele não ficar vermelha não significa que ela não esteja sendo danificada, pois este fotoenvelhecimento só aparecerá após alguns anos.

Quanto maior o tempo de exposição nas câmaras de bronzeamento e mais sessões, maiores são os riscos para a saúde da pele. Por isso, a melhor opção para um bronzeamento saudável é a exposição solar antes das 10h e após 16h, sempre sob uso de filtro solar adequado à cada tipo de pele.

Há mais alternativas que oferecem menos riscos, como os autobronzeadores em gel, creme ou loção. Estes possuem dihidroxiacetona, substância que provoca uma reação química na pele, escurecendo-a. Esta reação pigmenta a camada mais externa da pele (camada córnea), dando uma cor semelhante à do bronzeamento. Contudo esses produtos não estimulam a produção da melanina, pigmento que dá a cor natural da pele, portanto, não estão bronzeando, apenas tingindo a camada córnea.

Consultar um dermatologista para que recomende o produto mais adequado é importante, a fim de evitar não somente alergias e sensibilidades, como também manchas, pois há detalhes que devem ser considerados, como o intervalo entre as aplicações e uso de luvas, por exemplo.

Os autobronzeadores não devem, entretanto, ser confundidos com protetores solares, a não ser que tragam a indicação de que possuem filtros solares associados ao produto e com FPS maior ou igual a 15.

]]>
0